Patologia nas construções


 Introdução

    As obras de construção civil  após concluídas  devem atender as  utilizações e exigências para que foram projetadas. O suporte das cargas imposta no projeto devem ser sempre avaliadas, pois a construção pode ao longo do tempo apresentar sérios problemas de manutenção.

    Inspecionar, avaliar e diagnosticar as patologias da construção são tarefas que devem ser realizadas sistematicamente e periodicamente, de modo a que os resultados e as ações de manutenções devem cumprir efetivamente a reabilitação da construção, sempre que for necessária.


    Dentre dos diferentes parâmetros que contribuem para a degradação das construções são decorrentes de inúmeros fatores, como variações de temperatura, reações químicas, vibrações, erosão, e, um dos mais sérios, o fenômeno da corrosão das armaduras do concreto armado, que ocupa um importantíssimo fenômeno patológico, contribuindo de sobremaneira para a degradação da construção.

    Os sintomas da corrosão e as causas da corrosão não são habitualmente conhecidos e seu conhecimento se torna necessário para a adoção de métodos e procedimentosde correção bem definidos, de modo a que as intervenções sejam eficazes.

    Alguns conceitos de patologia são fundamentais para os engenheiros e técnicos  e muito se assemelham a padrões médicos, inclusive na adoção de certos nomes e conceitos, conforme citados muitas vezes por patologistas de renome nacional e internacional


Conceitos

Patologia: É a ciência que estuda a origem, os sintomas e a natureza das doenças. No caso do concreto, a patologia significa o estudo das anomalias relacionadas àdeterioração do concreto na estrutura.

Pathos = doença      Logos = estudo

Terapia: É a ciência que estuda a escolha e administração dos meios de curar as doenças e da natureza dos remédios.

Therapeia = método de curar, tratar.

Profilaxia: É a ciência que estuda as medidas necessárias à prevenção das enfermidades.

Prophylaxis = prevençãoPatologia das construções                                              

Sintoma: É a manifestação patológica detectável poruma série de métodos e análises.

Falha: É um descuido ou erro, uma atividade imprevista ou acidental que se traduz em um defeito ou dano.

Origem: É a etapa do processo construtivo (planejamento/concepção, projeto, fabricação de materiais etc) em que ocorreu o problema.

Diagnóstico: É o entendimento do problema (sintoma, mecanismo, causa e origem).

Correção: É a metodologia para a eliminação dos defeitos causados pelos problemas patológicos.

Recuperação: É a correção dos problemas patológicos.

Reforço: Aumento da capacidade de resistência de um elemento, estrutura ou fundação em relação ao projeto original, devido à alteração de utilização, degradação ou falha que reduziram ou não atendem a sua capacidade resistente inicial.

Reconstrução: É o refazimento de um elemento, estrutura ou fundação em razão de, mesmo que este recebesse uma ação corretiva, não atenderia mais a um desempenho mínimo aceitável ou, de um custo dado que a intervenção corretiva seja maior que o custo de sua reconstrução

Classificação dos reparos:Está associado à escolha dos materiais e definição dos métodos  de reparo, isto é, da terapia, que pode ser classificado em:

Reparos rasos, localizados ou generalizados, de 5 mm a 30 mm de profundidade;

Reparos semiprofundos, de 31 mm a 60 mm de profundidade;

Reparos profundos, de 61 mm a 300 mm de profundidade; tratamento de fissuras.



ASSISTA APRESENTAÇÃO DE SLIDES EM TELA CHEIA

PATOLOGIA  NAS CONSTRUÇÕES